Sakurá

Espetáculo é um convite para o conhecimento e o respeito a um universo curiosamente sábio e encantador

por

08 de setembro de 2017

SakuráRecordista de indicações ao Prêmio Zilka Sallaberry em 2013, com o espetáculo “Três Marias”; concorrendo em 09 das 10 categorias existentes, recebendo os troféus de melhor espetáculo e figurino; a Cia Crias da Casa estreia no dia 9 de setembro, em curtíssima temporada popular no Teatro Municipal Ziembinski, seu novo musical infanto-juvenil: Sakurá, escrito e dirigido por Gabriel Naegele. “Essa é uma ideia antiga. Sakurá é resultado de uma pesquisa que comecei em 2010, depois de presenciar, no CCBB, uma exposição que enfatizava os laços entre Brasil e Japão. Fiquei encantado e logo quis levar os mistérios e nuances do país para o teatro”, conta o diretor. Com uma comunicação profunda, sensível, leve e divertida, Sakurá é um convite para o conhecimento e o respeito a um universo curiosamente sábio e encantador. Sakura é o nome dado em japonês à cerejeira (Prunus serrulata) em flor.

Gabriel Naegele é um dos fundadores da Cia Crias da Casa, ao lado dos atores Leo Thurler, Denise Peixoto e Maria Vidal, que além de encenarem o espetáculo, se desdobram em múltiplas funções no grupo. “Crias da Casa porque nós fazemos tudo e estamos envolvidos em todo o processo de criação dos espetáculos”, explica Naegele.  O mesmo acontece com a atriz Aline Peixoto, que além de fazer parte do elenco, divide a direção musical e a composição das canções com Denise, sua mãe. “Para toda a concepção, buscamos bastante influência da música japonesa; desde jogos até filmes. São 21 faixas produzidas, entre vinhetas, trilhas instrumentais e canções letradas”, conta Aline. Os 17 figurinos; 19 cabeças, entre perucas e adereços; 3 bonecos e mais algumas formas animadas são assinados por Thurler. “Optei por pintar algumas peças à mão”, detalha.

Em Sakurá, terceiro espetáculo da Cia, é possível traçar um paralelo entre os aspectos mais tradicionais, primitivos e milenares da cultura do Japão; os seus contrapontos atuais e a relação com a nossa cultura. “Queremos estimular o trato de crianças e adolescentes com a diversidade. No espetáculo, além de apresentar para a plateia um universo bastante diferente do nosso, falamos ainda sobre o poder de escolha e as consequências que isso acarreta na vida de cada um, já que a busca pelos nossos sonhos pode ser atrapalhada por fatores como ganância e hipocrisia, dos quais devemos nos proteger”, detalha Gabriel. A dramaturgia, por meio da trajetória dos personagens, provoca questionamentos e reflexões sobre a busca por um lugar na sociedade.

Na trama, em um pequeno vilarejo no Japão, é março e as últimas folhas das cerejeiras já são levadas pelo vento. Todos se preparam para os festejos do Hanami, que nada mais é do que contemplar o florescer das cerejeiras, o desabrochar do SAKURÁ. In é um jovem que anseia se tornar um grande Samurai, mas para isso terá que cumprir sua grande missão e enfrentar seu maior inimigo. Yo é uma jovem que desde muito pequena foi prometida para ser apresentada durante os festejos do Hanami. No entanto, ela não deseja seguir a tradição imposta. Dois destinos cheios de aventuras, batalhas e desafios se cumprirão quando cair a última flor de cerejeira, o último Sakurá. “Em tempos de empoderamento feminino, Yo é exemplo de menina que luta pelos seus desejos”, finaliza Gabriel.

Sakurá fez temporada no Teatro da Uff em 2016, além de realizar apresentações em Nova Friburgo e Santa Catrina. O espetáculo recebeu os prêmios de melhor cenário, melhor texto, melhor maquiagem, melhor figurino, melhor sonoplastia, melhor atriz (Aline Peixoto) e melhor ator (Gabriel Naegele) no 44° Festival Nacional de Teatro de Ponta Grossa/ PR.

Ficha Técnica:

Elenco: Aline Peixoto, Denise Peixoto, Gabriel Naegele, Leo Thurler e Maria Vidal

Texto, cenário e Direção Geral: Gabriel Naegele

Assistente de Direção: Ricardo Lyra Jr e Thais Alves

Iluminação: Ricardo Lyra Jr

Direção Artística: Gabriel Naegele e Maria Vidal

Direção Musical: Aline Peixoto e Denise Peixoto

Direção de Movimento: Maria Vidal

Preparação Vocal: Jorge Maya

Preparação Corporal: Maria Vidal

Diretora de Palco: Roberta Thurler

Figurinos e visagismo: Leo Thurler

Adereços: Leo Thurler e Gabriel Naegele

Músicas: Aline Peixoto e Denise Peixoto

Trilha sonora: Aline Peixoto, Denise Peixoto e Yuichi Inumaru

Consultoria de bonecos: Márcio Nascimento e Nini Beltrani

Consultoria Circense: Cristina Moura

Consultoria de Artes Marciais: Ronaldo Damazio

Fotografia: Ton Carvalho e Renato Mangolin

Programação visual: Guilherme Kato

Consultoria de Produção: CultConsult

Direção de Produção e Realização: Cia Crias da Casa

Assessoria de Imprensa: Julie Duarte

Serviço:

Teatro Municipal Ziembinski (Rua Urbâno Duarte, 30 – Tijuca – em frente ao metrô São Francisco Xavier)

Temporada: de 09/09 a 01/10

Sábados e domingos às 16h

Ingressos: inteira R$ 30,00 e meia R$ 15,00