Semana Crítica premia a Argentina em Cannes por drama social coproduzido por Walter Salles

Longa dirigido por Santiago Mitre vence mostra paralela à disputa pela Palma de Ouro com seu olhar sobre as angústias de uma jovem vítima de um estupro

por

22 de maio de 2015

Paulina de Santiago Mitre

CANNES – Mais conhecido por seu trabalho como roteirista e por seu filme de estreia como diretor (“O estudante”, de 2011), o argentino Santiago Mitre venceu a Semana da Crítica, mostra paralela do Festival de Cannes, com o drama social de fortes tintas de violência “Paulina”, coproduzido pela Videofilmes de Walter Salles. Com sua direção impecável e um trabalho de interpretação nas raias da explosão da atriz Dolores Fonzi, o longa, refilmagem de “La patota” (1960), ganhou o Grand Prix Nespresso. Em sua trama, uma advogada que larga as cortes para dar aulas em uma comunidade na Argentina é vítima de estupro pelas mãos de uma gangue.

A seu lado, o também latino-americano “La tierra y la sombra”, de César Augusto Acevedo, também coproduzido pelo Brasil, ganhou o Prix Révélation France e o Prix SACD. Os curtas que saíram da Semana com láureas foram “L’enfant est au coeur (Varicella)”, de Fulvio Risuelo, e “Ramona”, de Andrei Cretulescu.