Sobre Curadoria de Festivais de Cinema

Você sabe o que é curadoria?

por

24 de fevereiro de 2021

Então, muita gente anda me perguntando sobre “Curadoria”. Decidi trazer um pouco mais sobre o assunto para vocês, por partes…

Parte 1:

Curadoria não é um nicho que a crítica de cinema costuma abrir facilmente, né?! Vocês sabem o que é curadoria, certo? É a seleção de filmes e outras obras de acordo com algum recorte pré-determinado, com o objetivo de traçar ou desenhar um tema maior, pungente, relevante, sejam questões conectadas (ou não) por algum objetivo em comum. Um Festival ou Mostra pode ter uma seção de filmes independentes, ou experimentais, ou de lançamentos inéditos, ou só dirigidos por mulheres, por exemplo, e por aí vai… Eles podem querer falar sobre um assunto em sintonia, como a representatividade no lugar de fala contemporâneo, ou a desconstrução de arquétipos engessados, ou mesmo homenagens a clássicos ou pessoas que já se foram e etc… As combinações são infinitas.

Porém, pra além de a própria crítica ser extremamente fechada, vocês devem saber bem, especialmente em recortes de identidades plurais, como questões de gênero, raça, classe, territorialidade (fora dos grandes centros urbanos e até sexualidade), ainda por cima sabemos que existe uma elitização — em muito porque não existe “bacharel de crítica”, muito menos de curadoria…

Um bom texto sobre essa disparidade é o das elviras Samantha Brasil/Maria Caú, que mostra o quanto os veículos não são diversos. Ele pode ser encontrado na internet gratuitamente em pdf sob o título “A Resistência das Mulheres na Crítica Cinematográfica” (é só botar no Google que acharão). Lembrando que está desatualizado, e que algumas atualizações do meio em resposta ao artigo são meio superficiais. Cá entre nós, alguns veículos quiseram mostrar que acrescentaram mulheres desde então, mas elas só colaboram ocasionalmente e parecem mais convidadas que fixas….

Parte 2:

Outra questão é que quase todos os Festivais, ainda mais hoje em dia, desde a pandemia, estando a maioria predominantemente online, sempre oferecem cursos e oficinas com grandes nomes já envolvidos com os respectivos nichos. Mmuitos destes cursos gratuitos, e, uma vez online, acessíveis de qualquer lugar do mundo. É importantíssimo circular entre as pessoas do meio se alguém quiser ter seu trabalho reconhecido. E quanto mais certificados, de mais olhares plurais e diversos, de mais festivais regionais o possível, melhor!

Até porque esses Festivais são bastante diferentes entre si, então compreender melhor as diferenças e recortes temáticos ao longo dos anos é também entender um perfil e sua evolução… É entender como eles estão acompanhando (ou não) os novos tempos, e como eles procuram se diversificar — entender o nosso mercado, entender as nossas necessidades curatoriais correntes, e entender os desafios que se propõem é crucial para oferecer algo factível, e que tenha relevância.

Outro desdobramento da questão anterior é que curadoria não se faz da noite pro dia. E não envolve apenas ver filmes e avaliar qual é o melhor ou não… Isso é uma visão simplória e equivocada. Nós dependemos de 1) ACERVO/BAGAGEM 2) INTERDISCIPLINARIEDADE com ferramentas que ampliem o olhar. Sejam livros, pesquisas, conexões, diálogos, coletivos e etc, que nos ajudem a abrir os olhos para tendências, para constelações temáticas do campo e do extracampo. Para invisibilidades correntes que precisam de ajuda pra se tirar as vendas dos olhos pro grande público etc. Então altamente recomendo ler catálogos de Mostras e Festivais pregressos. Eles possuem MUITA informação útil sobre temas anteriores, modismos, necessidades, vozes plurais e direções a se tomar… A maioria dos catálogos pode …

Por fim, mas não menos importante, devemos sempre estudar, ler sobre o assunto.

Um exemplo introdutório pra entender nosso cenário é o livro Trajetória da Crítica de cinema no Brasil da Abraccine — infelizmente, temos parco material acessível sobre as várias regiões descentralizadas do Brasil, e mesmo o trabalho da abraccine sendo introdutório, todos nós ainda temos um largo caminho a percorrer em termos de representatividade — que nem a série que lançaram recentemente na TV https://www.cinemaemserie.com.br/series/palavra-critica-serie-sobre-criticos-de-cinema-estreia-hoje/

E aconselho pegar o material que há nos próprios sites das associações regionais – accrj (mais antiga com registro do Brasil), ACCPA (a do Pará é mais antiga sem registro, mais que a accrj), a aceccine do ceará etc

Parte 3:

Ainda assim… Praticamente não tem livro sobre curadoria de cinema. O que há bastante são debates, lives, catálogos, artigos etc. São textos que uso em meus cursos. Porém existem sim alguns livros, e até mesmo outros que não necessariamente são ligados diretamente ao cinema, mas cobrem uma vasta área da ação curatorial. Em primeiro lugar, eu indico um aqui que não é sobre curadoria de cinema, mas geral: “Curadoria: o poder da seleção no mundo do excesso” de Michael Bhaskar (tem na Amazon).

https://www.amazon.com.br/Curadoria-poder-sele%C3%A7%C3%A3o-mundo-excesso/dp/8594932170/ref=asc_df_8594932170/?tag=googleshopp06-20&linkCode=df0&hvadid=379781197625&hvpos=&hvnetw=g&hvrand=16671935860161337852&hvpone=&hvptwo=&hvqmt=&hvdev=m&hvdvcmdl=&hvlocint=&hvlocphy=20102&hvtargid=pla-920554019743&psc=1

Além deste, o do Bruno Latour, “Jamais Fomos Modernos”, não é sobre isso necessariamente, apesar de ele próprio já ter feito muitas exposições em galerias e ter usado de um crivo bastante curatorial, mas super acho que o livro dele sobre atores/agentes ajuda muito a entender um processo de seleção com mais participação do que seja representativo para o tema, com colaboração dos agentes/atores/sujeitos envolvidos no objeto de estudos.

https://www.amazon.com.br/Jamais-Fomos-Modernos-Bruno-Latour/dp/8585490381

Também indico absolutamente TUDO da nossa pesquisadora e curadora baiana Amaranta Cesar do Festival Cachoeira Doc. Definitivamente ela é uma das que mais publica coisas, debates ou dá entrevistas sobre o assunto com crivo moderno. Ela e o amigo pesquisador e curador também Heitor Augusto. Acho que tem aula do Heitor online gravada na plataforma do Nicho 54, uma empresa que ele abriu com outros amigos em comum maravilhosos de SP.

Seguem alguns textos sobre curadoria com alguns dos nomes mais especializados do assunto:

Link para baixar o Artigo “Sobreviver com as Imagens” de Amaranta César:

https://bib44.fafich.ufmg.br/devires/index.php/Devires/article/view/154

https://foradequadro.com/2018/10/12/a-cura-pelo-cinema/

https://foradequadro.com/2017/09/19/contra-a-velha-cinefilia-uma-perspectiva-feminista-de-filiacao-ao-cinema/

https://ursodelata.com/2017/02/09/problema-so-dos-filmes-ou-o-problema-tambem-somos-nos-mostra-de-tiradentes/

https://ursodelata.com/2015/10/10/traducao-responsabilidades-de-um-critico-gay-de-cinema/