“Soundtrack”

Longa chega aos cinemas nesta quinta-feira, dia 06.

por

06 de julho de 2017

A nossa insignificância diante do universo infinito, mistério para a Ciência e a Religião, tem na Arte, nesse caso, o cinema, uma reflexão muito apropriada no filme “Soundtrack”. Com roteiro e direção da dupla brasileira 300ml, ligada ao segmento publicitário, o longa nos leva a um continente gelado para levantar questões sobre a razão da nossa própria existência e do nosso papel no mundo. Pode parecer pretensioso, mas o caminho traçado não é nada forçado.

Seu Jorge e Selton Mello em cena (Foto: Divulgação).

Seu Jorge e Selton Mello em cena (Foto: Divulgação).

A história de Cris (Selton Mello), um artista brasileiro que viaja para uma estação de estudos climáticos e ambientais, é, acima de tudo, um olhar sobre a humanidade. Em busca de autorretratos, ao som de uma playlist, ele pretende registrar reações entre a música e o fundo branco da neve, fazendo selfies, num local distante e de quase absoluto isolamento. Na companhia dele apenas quatro cientistas: Cao (Seu Jorge), botânico brasileiro que investiga a flora em situações extremas; o britânico Mark (Ralph Ineson), pesquisador do clima, o biólogo chinês Huang (Thomas Chaanhing) e o pesquisador dinamarquês Rafnar (Lukas Loughran). Os quatro homens da ciência com propósitos muito importantes para a sobrevivência na Terra. E Cris? O que sua arte pode resultar de relevante para a vida? Sua arte importa? Cris importa?

Pode parecer pelo título que “Soundtrack” é um filme essencialmente musical, mas não é exatamente isso que está em questão, os cinco homens são as próprias faixas, cada um é sua própria trilha musical, o que faz a arte de Cris fazer total sentido. Ele divide o alojamento com Mark e é com ele que as maiores conexões se estabelecem. O britânico está distante da família e a esposa espera um bebê. Essa expectativa de vida e as dificuldades de um homem da ciência sustentar mais um filho resultam em temor de quem sabe qual a importância do seu lugar no mundo, mas nem mesmo tem certeza se pode se manter e prover sua família. E nessa relação estão os melhores desempenhos do filme com ótimas cenas de Selton Mello e Ralph Ineson.

“Soundtrack” é acima de tudo um olhar sobre a humanidade contemporânea que se conecta tecnologicamente, que viajou até a Lua, que busca o desenvolvimento, e é desfiada a enfrentar suas maiores necessidades e desejos.

Avaliação Ana Rodrigues

Nota 4