‘Star Trek: Sem Fronteiras’

Uma das principais estreias desta semana, o filme mantém o padrão de qualidade de seus antecessores.

por

30 de agosto de 2016

No ano em que celebra seu 50o aniversário, a franquia “Star Trek” brinda os fãs com um novo longa-metragem, “Star Trek: Sem Fronteiras” (Star Trek Beyond – 2016), que concede um tom levemente nostálgico para reverenciar a série original e também uma de suas grandes estrelas, Leonard Nimoy, falecido em 2015.

STAR TREK BEYOND

“Star Trek: Sem Fronteiras”: elenco principal.

Com direção de Justin Lin, o filme é ambientado no terceiro ano da missão da Enterprise, prevista para durar cinco anos, e a mostra sendo atacada por Krall (Idris Elba) após atender a um pedido de socorro, o que acaba por dividir a tripulação num planeta dominado pelo vilão.

“Star Trek: Sem Fronteiras” se diferencia de seus antecessores, “Star Trek” (Idem – 2009) e “Além da Escuridão: Star Trek” (Star Trek Into Darkness – 2013), em alguns aspectos, sobretudo, no que diz respeito à dinâmica entre os personagens. Com Kirk (Chris Pine) e Spock (Zachary Quinto) separados, personagens secundários ganham mais destaque e uma dupla inusitada é formada por Spock e Bones (Karl Urban), o que rende ótimos momentos em cena. Isso se deve em parte ao fato de um de seus atores, Simon Pegg (Scotty), ser um dos responsáveis pelo roteiro, algo que se evidencia pela dose de humor que o longa contém.

STAR TREK BEYOND

Karl Urban (Bones) e Zachary Quinto (Spock).

Mesmo sem conceder nenhum elemento original à franquia, o roteiro assinado por Pegg e Doug Jung, é coeso, bem alicerçado e repleto de diálogos interessantes e afiados, sempre explorando com bastante perspicácia as características de cada personagem, bem como as dúvidas de seus protagonistas, Kirk e Spock, um tanto atormentados pelos legados de seus respectivos pais.

Apresentando cenas de ação ágeis e dirigidas com esmero, “Star Trek: Sem Fronteiras” mantém o padrão de qualidade técnica da franquia, tornando-se um verdadeiro espetáculo visual, potencializado pelo 3D eficiente. É um filme esteticamente caprichado que prima também pelos efeitos sonoros e por sua trilha sonora, inserida com precisão cirúrgica para agregar ainda mais valor a ele.

Com um elenco entrosado e à vontade neste universo criado por Gene Roddenberry na década de 1960, destacando, aqui, mais uma boa atuação de Idris Elba, “Star Trek: Sem Fronteiras” tem força suficiente para agradar aos fãs e deixa-los ansiosos pelo próximo longa-metragem, ainda sem data de lançamento definida.


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52