Super velozes, mega furiosos

Jason Friedberg e Aaron Seltzer fazem piada com Velozes e Furiosos

por

30 de abril de 2015

Jason Friedberg e Aaron Seltzer são conhecidos por suas paródias cinematográficas. De “300” (2006) à saga “Crepúsculo”, tudo é motivo para sarro em filmes como “Espartalhões” (2008), “Os vampiros que se mordam” (2010) e “Jogos famintos” (2013). A fórmula é bastante simples: as mesmas piadas grotescas, escatológicas e sexistas repetidas em um fiapo de história que remete a algum grande sucesso de bilheteria. O resultado invariavelmente é muito ruim, mas o sucesso de público é motivo suficiente para que a dupla continue produzindo.

Super velozes, mega furiosos

Super velozes, mega furiosos

Agora, eles voltam suas câmeras para a franquia “Velozes e furiosos”. Pegando carona no estrondoso sucesso dos filmes protagonizados por Vin Diesel e Paul Walker, “Super velozes, mega furiosos” apresenta o detetive Paul White (Alex Ashbaugh), policial infiltrado em uma gangue de arruaceiros liderada por Vin Serento (Dale Pavinski) para investigar os crimes de Juan Carlos de La Sol (Omar Chaparro). Perseguidos pela polícia e pelo perigoso criminoso, eles tramam um plano mirabolante para surrupiar a fortuna do gangster e desaparecer para sempre.

Super velozes, mega furiosos

Super velozes, mega furiosos

Como toda a filmografia de Friedberg e Seltzer, “Superfast!” (no original) é um amontoado de piadas ruins, calcadas em um humor físico capaz de gerar apenas constrangimento. Exceto pelos momentos metalinguísticos em que zomba dos estereótipos característicos das produções de ação, é inevitável a sensação de que tudo não passa de uma grande perda de tempo, reforçada pela exposição maciça a uma fórmula rasteira de comédia, incapaz de fugir do lugar comum e proporcionar a diversão a que o gênero se propõe.

Super velozes, mega furiosos

Super velozes, mega furiosos

Diante de tantos equívocos, não espanta que o momento mais engraçado da obra seja involuntário: durante os créditos finais, erros de gravação são exibidos e, em um deles, Omar Chaparro afirma que “Super velozes, mega furiosos” era um filme de comédia e deveria ser engraçado. Impossível discordar.

  • Super velozes, mega furiosos
  • Super velozes, mega furiosos
  • Super velozes, mega furiosos
  • Super velozes, mega furiosos

Super velozes, mega furiosos (Superfast!)

Estados Unidos, 2015, 99 minutos.

Direção: Jason Friedberg e Aaron Seltzer

Com: Dale Pavinski, Alex Ashbaugh, Omar Chaparro, Dio Johnson, Andrea Navedo, Daniel Booko, Shakira Barrera


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52