Trinta

por

12 de outubro de 2014

Filmes que contam a biografia de uma celebridade, muitas vezes, caminham perigosamente próximo da construção ou exaltação de um ídolo. E ao idolatrar alguém, às vezes, corre-se o risco de se desumanisar uma pessoa que já era real. De toda forma, fica evidente a intenção do diretor Paulo Machline de homenagear, a todo momento, a pessoa e a obra de Joãosinho Trinta.

1280x720-PEu

O filme fala sobre o protagonista, abordando sua saída do Maranhão e sua chegada ao Rio para ser bailarino. O foco principal fica no início de sua carreira como carnavalesco, quando sustituiu Fernando Pamplona no desfile da Acadêmicos do Salgueiro de 1974, com criações que revolucionaram o carnaval.

DSC_3749

O diretor Paulo Machline já falara sobre a vida do carnavalesco em seu outro filme,”A Raça Síntese de Joãosinho Trinta”, de 2009. Talvez tenha sido a pesquisa feita para esse documentário que influenciou no bom trabalho de recuperação de músicas tradicionais e das primeiras criações do carnavalesco. Todo o trabalho de reconstrução de época e a demostração do processo criativo de Joãosinho Trinta, trancado e sozinho no barracão, muitas vezes coloca o espectador em uma posição privilegiada, abrindo uma janela secreta diretamente para o passado.

maxresdefault

A atuação respeitosa de Matheus Nachtergaele como Trinta e sua boa relação com Paulo Tiefenthaler, interprete de Pamplona, sustentaram o filme. Todos os outros personagens acabaram se tornando monocromáticos, insistentes em apenas uma ideia, apesar do esforço e talento de seus atores. É compreensivo que nenhum outro personagem recebesse o destaque de Trinta, mas, em alguns momentos, soava estranho que certos personagens tivessem somente um tipo de humor, tornando-se apenas pessoas invejosas, alegres ou gentis o tempo todo. A própria estrutura do filme, didática e previsível, pode funcionar bem na linguagem televisiva, mas exige uma melhor adaptação para o cinema.

jgl2878-copy

Ainda assim, é um filme capaz de emocionar os adimiradores de Joãosinho Trinta e uma clara homenagem a um dos maiores carnavalesco de todos os tempos. Um filme feito de fã para fãs.

Festival do Rio 2014 – Première Brasil: Hors Concours

Trinta

Brasil, 2014. 94 min.

De Paulo Machline

Com Matheus Nachtergaele, Paulo Tiefenthaler, Milhem Cortaz, Paolla Oliveira

Avaliação Gabriel Gaspar

Nota 3