Trumbo: Lista Negra

Longa traz astro de "Breaking Bad" na pele do roteirista perseguido pelo governo norte-americano Dalton Trumbo

por

29 de janeiro de 2016

Dalton Trumbo (Bryan Cranston) foi um famoso escritor e roteirista norte-americano que viu sua vida virar de cabeça para baixo por conta de sua posição política. Assumidamente comunista, ele e mais nove dos principais profissionais de Hollywood dos anos 40 constituíram o Hollywood Ten, grupo que se recusou a responder as perguntas do Comitê de Atividades Antiamericanas do congresso, o que levou Trumbo a ser preso em 1947 e proibido de trabalhar mesmo após a sua libertação. O roteirista demorou anos para derrubar o boicote do governo e poder assumir a autoria dos sucessos premiados no Oscar “A Princesa e o Plebeu” (1953) e “Arenas Sangrentas” (1956). É sobre este período que trata a cinebiografia “Trumbo: Lista Negra”, dirigida por Jay Roach (“Entrando Numa Fria”, “Os Candidatos”).

Trumbo1

O longa, escrito por John McNamara (“Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman”), procura humanizar Trumbo ao focar em sua relação familiar, principalmente com sua esposa Cleo (Diane Lane) e sua filha mais velha Nikola (Elle Fanning). Este não é, no entanto, o único enfoque do filme: os períodos antes da prisão em reuniões com companheiros comunistas e depois que Trumbo deixa a cadeia e trabalha clandestinamente até finalmente ser reconhecido por suas obras, graças a Kirk Douglas e Otto Preminger, também recebem bastante atenção de Roach. A escolha de McNamara por um enredo muito extenso e detalhista, que reúne diversos eventos diferentes, acaba tornando “Trumbo” (no original) um pouco cansativo por não manter um ritmo constante, porém jamais desinteressante.

Ao contrário do “Trumbo” (2007), de Peter Askin, “Trumbo: Lista Negra” romanceia e dramatiza um pouco a história do roteirista e, por isso, exagera um pouco para apresentá-la ao público. O humor mordaz de Trumbo proporciona cenas divertidíssimas, em especial quando contracena com a maldosa colunista Hedda Hopper (Helen Mirren), e Frank King (John Goodman), o produtor que não se importou com o fato de Trumbo fazer parte da Lista Negra e lhe deu emprego para escrever sob pseudônimos. A trajetória do personagem-título, interpretado por Bryan Cranston com brilhantismo – não à toa, a sua indicação ao Oscar 2016 de Melhor Ator –, envolve o espectador e tem uma enorme importância, não só histórica como também por dialogar com os dias atuais, onde todos parecem apontar o dedo uns para os outros devido a suas crenças políticas e ideológicas, sem se importar com as consequências que trarão à vida alheia.

 

Trumbo: Lista Negra (Trumbo)

EUA – 2015. 124 minutos.

Direção: Jay Roach

Com: Bryan Cranston, Michael Stuhlbarg, Diane Lane, Elle Fanning, Helen Mirren, John Goodman e Louis C.K.


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52