Uma Loucura de Mulher

Mais uma comédia brasileira sem nenhum destaque com exceção da beleza de Mariana Ximenes e da última aparição de Luiz Carlos Miele

por

03 de junho de 2016

Tudo que é demais cansa e pelo andar da carruagem, o boom das comédias brasileiras está com seus dias contados. O formato, explorado a exaustão, encontra-se saturado pela ganância dos produtores e pela incompetência de alguns roteiristas e diretores. “Uma Loucura de Mulher” é mais uma comédia, dentre tantas, lançada no circuito brasileiro, sem nenhum tratamento que mereça destaque com exceção da beleza física da atriz Mariana Ximenes e da última aparição do saudoso Luiz Carlos Mieli.

LM03

Na trama, Lúcia (Mariana Ximenes) abandona a dança para se casar com Gero (Bruno Garcia) e o apóia na carreira política. Mas no dia do lançamento da pré-candidatura de Gero a governador, um evento acarreta mudanças em suas vidas. Lúcia foge para o Rio de Janeiro esperando se reencontrar com os sonhos de seu passado perdido.

LM01

O estreante diretor Marcus Ligocki Jr., de formação publicitária, não demonstra nenhum virtuosismo nem intenção de se firmar como um bom cineasta. Embora o filme acene com uma leve homenagem às comédias norte americanas dos anos 60 (“A Pantera cor de rosa”, “Deu a louca no mundo”, “Se meu apartamento falasse”), Ligocki parece não querer dar muita satisfação de seu trabalho e trata o público como um deficiente que necessita ser informado a todo tempo sobre o que está acontecendo.

Todos os vícios adquiridos em sua formação acadêmica aparecem sem sutilezas, perceptíveis nos primários enquadramentos, na fotografia sem nenhum tratamento e na irritante trilha sonora que insiste em conduzir o espectador pelas sequências engraçadinhas. Isso sem falar na artificialidade das situações e na caricatura banal dos personagens.

LM02

O roteiro é incapaz de qualquer subtexto narrativo, pois tenta fazer graça com a emancipação feminina dentro de um meio predominantemente masculino, mas não consegue resistir à tentação de reprisar o maior de todos os clichês: “A felicidade feminina está intimamente ligada à presença de um homem em sua vida”. Nem parece que o roteiro foi escrito por duas mulheres, tamanha a quantidade de situações previsivelmente machistas.

“Uma Loucura de Mulher” é esquemático e só revela como as comédias brasileiras estão precisando de uma renovação.

loucurademulher_2

Uma Loucura de Mulher (idem)

Brasil, 2015. 100 min.

Direção: Marcus Ligocki Jr

Com: Mariana Ximenes, Bruno Garcia, Miá Mello, Sérgio Guizé, Zéu Brito, Luiz Carlos Miéli


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/almanaquevirtual/www/wp-content/themes/almanaque/single.php on line 52