Utoya – 22 de julho

Excelência em efeitos sonoros ampliando a tortura, para o mal e para o bem

por

02 de novembro de 2018

Filme tensão que espetaculariza o sofrimento alheio mas sem tutano o suficiente para transformar estilo sádico em denúncia pungente. Dirigido por Erik Poppe e escrito por Anna Bache-Wiig e Rajendram Eliassen, é baseado no massacre de acampamento de verão de Utøya que ocorreu em 22 de julho de 2011 e foi filmado em uma única tomada em tempo real. Apesar da tortura consciente que impõe, causando desconforto intencional e exagerado que mais transforma o massacre real em uma obra de ação desenfreada do que de fato numa catarse, ainda assim é um dos melhores usos de som que este correspondente que vos escreve viu no Festival de Berlim no início de 2018 pelo Almanaque Virtual. Encare como uma montanha russa masoquista…

Screenshot_20181102-131046

Confira crítica em vídeo:

Confira trecho da coletiva do filme