Vencedores de Rotterdam 2018

Brasileiros saíram com prêmios do Festival: "Azougue Nazaré" de Tiago Melo, "Neville D'Almeida: Cronista da Beleza e do Caos" de Mario Abbade além do argentino "Zama" de Lucrecia Martel produzido pela brasileira Bananeira Filmes

por

04 de fevereiro de 2018

Os vencedores do 47º Festival Internacional de Cinema de Rotterdam, que se iniciou no dia 24 de janeiro de 2018 e teve seu fim hoje no dia 4 de fevereiro, foram anunciados.

Brasileiros saíram com prêmios do Festival. “Azougue Nazaré” de Tiago Melo ganhou o prêmio principal da Mostra Bright Future. Já o doc “Neville D’Almeida: Cronista da Beleza e do Caos” de Mario Abbade ganhou o prêmio Impact Docs, concedido por um júri de especialistas internacionais através da internet, um prêmio externo à organização do Festival, mas dado a filmes exibidos pela seleção oficial. Além do filme argentino “Zama” de Lucrecia Martel que foi produzido pela produtora brasileira Bananeira Filmes, e ganhou o prêmio KNF do Círculo de Jornalistas de Cinema Holandeses.

1277012_thewidowedwitchrediance_289147

Confiram lista completa:

“The Widowed Witch” de Cai Chengjie ganhou a competição com o prêmio Hivos Tiger, que vem com um prêmio em dinheiro de $ 40,000.

O júri disse que era “um filme de dimensões épicas com uma narrativa maior do que uma pessoa ou momento. É preciso um ponto de vista feminista com uma forte personagem central, que se recusa a ser uma vítima “. O enredo centra numa mulher viúva que embarca em uma missão através da China rural após uma série de tragédias. Uma versão anterior do filme foi exibida no Xining First Film Festival.

O prêmio especial do júri de US $ 10.000 foi para o roteiro de Rami Alayan para The Reports On Sarah And Saleem, de Muayad Alayan. O filme ganhou também ganhou o prêmio de audiência do Fundo Hubert Bals, também vale 10.000 €.

O júri deste ano foi: Anthea Kennedy, Paula Astorga, Job ter Burg, Valeska Grisebach e Kim Kyungmook.

O prêmio principal da Mostra Bright Future, para os cineastas que estrearam com seu primeiro filme, foi conquistado pelo brasileiro Tiago Melo para “Azougue Nazaré”.

O prêmio VPRO de tela grande deste ano foi para “Nina” de Olga Chajdas, o que significa que o filme será transmitido na televisão holandesa e lançado em cinemas holandeses.

O prêmio de audiência, no valor de € 10.000 e votado pelos visitantes do IFFR, foi premiado com The Guilty de Gustav Möller. Também ganhou o prêmio do júri juvenil do IFFR.

O novo prêmio de Novas Vozes em Curtas pela audiência para curtas-metragens guiados por narrativas fortes foi para “Joy In People” por Oscar Hudson.

O prêmio FIPRESCI foi para Balekempa por Ere Gowda.

O Prêmio KNF, concedido pelo Círculo de Jornalistas de Cinema Holandeses, foi conquistado pelo “Zama” de Lucrecia Martel, filme argentino, mas de produção brasileira pela Bananeira Filmes de Vania Catani.

O prêmio NETPAC para o melhor filme cinematográfico asiático que estreou no IFFR foi conquistado por “Nervous Translation “ de Shireen Seno.

Finalmente, o novo prêmio de ‘found footage’, apoiado pelo Instituto Holandês de Som e Visão, foi para o Newsreel 63 – The Train Of Shadows da Nika Autor.

Vale mencionar que o filme brasileiro também exibido no Festival, o doc “NEVILLE D’ALMEIDA, CRONISTA DA BELEZA E DO CAOS” de Mario Abbade (crítico do Jornal O Globo, cineasta e fundador do Almanaque Virtual), ganhou o prêmio Impact Docs, concedido por um júri de especialistas internacionais através da internet, um prêmio externo à organização do Festival, mas dado a filmes exibidos pela seleção oficial.

Neville_DAlmeida_SITE

O diretor do festival, Bero Beyer, disse: “Estamos muito felizes pelo fato de os fortes vencedores representarem o espírito corajoso da programação completa do festival. São cineastas, emergentes e estabelecidos, que usam seu talento para oferecer uma nova visão em nosso mundo. Tão diversos quanto são, parece haver um fio comum, o fio de cinema bonito e humano! ”

Os prêmios foram entregues na cerimônia de entrega de prêmios em 2 de fevereiro