Vencedores do Independent Spirit Awards

O 'Oscar' do cinema independente coroa Moonlight e A Bruxa produzido por Brasileiro

por

26 de fevereiro de 2017

O Independent Spirit Awards, premiação anual aos melhores filmes independentes norte-americanos e aos profissionais neles envolvidos, foram entregues neste sábado em Santa Mônica, Califórnia, coroando “Moonlight” e “A Bruxa”, este produzido por brasileiro Rodrigo Teixeira que foi laureado com o filme.

Ofertados pela “Film Independent” (organização sem fins lucrativos americana), tem um comitê julgador composto por diretores, escritores, roteiristas, produtores, atores e críticos de cinema, além de, eventualmente, algum convidado, como um editor, por exemplo.

As condições para os filmes concorrerem são: metragem mínima de 70 minutos; custo máximo de 20 milhões de dólares; ter participado de pelo menos um destes festivais: Los Angeles, New Directors/New Films, New York, Sundance,Telluride e Toronto; ou ter sido exibido ao menos uma semana em alguma sala comercial entre 1º de janeiro e 1º de dezembro, do ano em que concorre.

Entre os indicados deste ano, o grande vencedor foi “Moonlight”, de Barry Jenkins, com um total de seis prêmios, incluindo Melhor Filme. Confira abaixo todos os vencedores.

Filme: “Moonlight”
Atriz: Isabelle Huppert, por “Elle”
Ator: Casey Affleck, por “Manchester à Beira-Mar”
Atriz Coadjuvante: Molly Shannon, por “Other People”
Ator Coadjuvante: Ben Foster, por “Hell or High Water”
Diretor: Barry Jenkins, por “Moonlight”

Roteiro: “Moonlight”
Roteiro de Estreia: Robert Eggers, por “The Witch”
Fotografia: James Laxton, por “Moonlight”
Montagem: “Moonlight”
Prêmio Robert Altman (pela qualidade da equipe): “Moonlight”
Documentário: “O.J.: Made in America”, de Ezra Edelman
Filme Estrangeiro: “Toni Erdmann”, de Maren Ade (Alemanha / Romênia)
Filme de Estreia: “The Witch”, de Robert Eggers

Prêmio John Cassavetes (produção com custo menor que US$ 500 mil): “Spa Night”, de Andrew Ahn
Prêmio Piaget (produtores emergentes): Jordana Mollick
Prêmio “Alguém para se Prestar Atenção” (diretor de ficção em começo de carreira): Anna Rose Holmer, por “The Fits”
Prêmio “Mais Verdadeiro que a Ficção” (diretor de documentários em começo de carreira): Nanfu Wang, por “Hooligan Sparrow”