VII Olhar de Cinema: “Espreita”

Filme de Farnoosh Samadi, produção do Irã/Itália

por

08 de junho de 2018

“Espreita” de Farnoosh Samadi, produção do Irã/Itália

Que pequeno grande filme intrigante. Em meio a produções extremamente politizadas que flertam com o naturalismo, o documental ou a abstração total (caso da animação “Caminhada Solar”), enfim um refresco com pegada mais declaradamente de cinema de gênero, no caso de suspense, mas ainda assim engajado em questões identitárias sem precisar sequer pronunciar as questões, e simplesmente sendo o que é.

Uma história que seguiria normalmente a protagonista iraniana que sai do trabalho tarde da noite e impede um assalto no ônibus de volta para casa. Porém, o assaltante frustrado começa a seguir o coletivo com a moto de um amigo, de forma a querer se vingar daquela que o denunciou.

espreita

Com uma construção linear sem surpresas ou arroubos, a diretora Farnoosh comprova que a técnica e habilidade podem transformar oque poderia ser uma sinopse banal ou mesmo exploratória do sofrimento da mulher em um thriller de tirar o fôlego, e não apenas pelo prazer masoquista do espectador, e sim para denunciar uma condição ainda debilitante de uma sociedade que permite que figuras masculinas tentem se impor à constituição e força basilares femininas, como no caso a metáfora da protagonista e de sua filha, para a qual ela apenas queria poder voltar para casa para assegurar o zelo e proteção. — na formação das novas gerações que melhorem as condições sociais legadas.