22° Mostra Tiradentes: Debate A Presença de Grace

Em Estado de Grace

por

20 de janeiro de 2019

22° Mostra de Tiradentes: Debate “A presença de Grace Passô” com a presença da própria e do cineasta André Novais, da historiadora Natália Batista e da gestora cultural Aline Vila Real. Algumas falas da própria encontram-se em vídeo ao final do texto.
Trechos destacados:

Historiadora Natália Batista começa:

Grace é uma “mulher da arte”, ela Ultrapassa diversos campos sempre no sentido de construir sentidos. Reelaborar nossos conceitos para debater o trabalho das mulheres em todos estes sentidos produzidos. Perpassa a atriz, a dramaturga, diretora…, pois não é possível uma fragmentação porque ela é todos elas. E sua trajetória é muito consistente.
O tempo de agora. Capaz de olhar para o passado e criar um novo presente no conceito de Walter Benjamin. Um tempo onde tudo é possível. Diálogo de vivos e mortos. Olhando para o que foi produzido e olhando a potência de transformação através da arte e cultura.
O que a Grace dramaturga faz e escolhe é o que a Grace atriz e outras Graces fazem. Saber o valor que este corpo tem e não aceitar certos usos. Lida com temas simultâneos. Incomunicabilidade do sujeito, a solidão da mulher negra, o extermínio da juventude negra etc etc.

“Eu não posso definir minha dramaturgia, pois estou no segundo texto…Tenho que esperar um tempo para isso.” — a historiadora traz trecho de 12 anos atrás que cita de entrevista que fez com Grace na época.
Cria a narrativa a partir de imagens e depois dialoga com as pessoas a partir da percepção desse texto.

Aline Vila Real, gestora cultural (grupo Espanca!)

Fala que Grace é presença formadora no grupo Espanca). Suas entrevistas são muito coerentes, em todos os tempos, porque sua voz existe e resiste.
“Pour Elise” foi o primeiro texto que Grace escreveu e dirigiu pro Grupo Espanca, mas não foi seu primeiro texto. “Pour Elise” é um susto… Suas primeiras obras eram esse diálogo e questionavam o próprio teatro, e as obras mais atuais como “Vaga Carne” e “Mata teu Pai” são um chamado. Expansão do tempo como uma consciência da ancestralidade e de unir o passado e presente…dessa experiência negra das artes e cultura. E o fazer artístico também tem muita consciência e expansão por Grace ser brasileira e fazer sua arte com essa questão em mente. O que se pensa através do que se realiza.

Intuição sobre formas
Daria uma boa cena
As cezes nem tem palavra
A potencia da imagem
Motivos misteriosos
Intuicao neste lugar dr buscar assuntos
Uma imagem as vezes reune discursos q vc pro ura ha muito tempo
Desejo da voz
De ouvir
O q existe na realidade pertinente e faca sentido
Busca primaria de todo artista
Tentar esvhtat o q a realidade te duz
Quais sao as coisas q existem na realodae e te faxem refrletir na vida
Nao so o ssntido tomabtico
Tudo
Afeto poltica sociedadr subjetuvudar destas construcoes
Escuta tem a ver com a construcao da sua nocao de sociedade
Por isso a arte eh inevitabelmente poltica
Vc vai esvutar i q omseguebver e refletir
Aline
Corpo nao tem limire
Pptebcializa esta voz
Quais sao as esgrategias de poder colocar esta voz atraces do teatro e inema e eciste plutal
Potencia da irbencia
Pessoa ser pilitici e escolheu tgabalhar e se apergeicoar enquanto atriz e diretira e dtanatyrga etc e olocar essa voz potente no enckntro com o outri
Tem a ver com uma verfade
E o desejo
A boz nao rsta espetando um tema ou um travalho tecnico pra ser cknstryida
Ela eh pitencializada pela arte mas te. Un lugar de urge cia como cidafa como agente cultutal

Andre
Questai prathca
Trabalho com a voz
Caga carne fala sobre isso
Impressuonante

E nos seus
Comeca antes d efalar mos filmes
Esc9lha do w falar
O q xabe na boca
Mesmo dialogos prontos
A grace tem muito de questionar se este dualogo cabe aqui
Sera q a personagen falarianisso
Savee e escokher o w falar
E o w tepresenta esta fala q solta no filme
Construxai do dialogo e do personagem e entonação onde comparando os 2 filmes essa busca pela coisa de juntat a enotnacao q cabe na perosnabem
Tempirada mais introspectiva e combina com a mudanca da personagem w vai atraves do filme e vai se transformandi e a midanxa do corpo e do humor e emocoes.

Na maioria dos roteiros exiate descrição da atriz por trás da do personagem
A ideia de proxurar alguem assim, daquele jeito
E ha experiencias subjetivas envolvidas
No set de No Coração do Mundo conheceu André
E conheceu Gabriel e Maurílio através de outro contato de trabalho. Não e porque “estava querendo faxer cinema”, mas estava dentro das Relações afetivas que levaram a isso e teve a dadiva

Sobre tecmica versus naturalismo
Eh uma das maiorrs questoesda arte
Dizer q tudo é tecnico seria.pressupor que nao ecistisse toda uma outra dimensao, sensibilidade da percepcao
Entendendo as tecnucas mas tbm a sensibilidade de cada um e como cada um existe e ver sensivelmente

Sobre o Vaga Carne tem um pouco ali desejo de nao ter mensagem
Tem um discurso que corre ali
E quase uma saga para chegar naquele final
“Entendi. Preciso conatruir idemtidades. Existem esras identidades. Deixa eu tentar entender: ela é isso e isso….
Com todas as dimensões poeticas, é sobre construcao identitatfia
Com o q noanidentofocamos
E ao identificar estamos em determinados grupos
E entendemos a exiatencia politica e como se relaciona com o outro
Existe ali uma forma que eh intencional sim
É maismlivre (como nosntextos q rolaram no espanca antigamente)
Tem voos ali, alguns pura estrategia pra evocar a escuta, primordial sobre a pervepcao
Aquele tanto de imahens sendo galadas e tentando descfever na tela preta…
Te levar numa viagem sonora tbm
E ima tentativa desta narrativa de ela ter viagens que sao muito grandes mesmo
A voz q entra nas coisas
Também é uma estrategia de descrever um creme ate um corpo q vc vê

Situação q eh a historia
Uma voz q entra nas coisas e descreve as coisas por dentro tbm eh uma estretaegia de evocar a escuta e poder encontrar um dialogo com o publico e tentar fazer o piblico encontrar imagnes e enckntrar um piuco de si
Vaga carne imteressante jusramebte q tenha algumas coisas q deseja galar atraves do trabalho, mas tbm a possibilidade de leituras q epe.abre
De longuagem e imagne scarregadas de uma descricai q nao eh muito objetuva e sim depende de um desejo seu de aceitar aquilo
Viajar na ideia do q eh a personagem fescrever um trabalho
Acordo da viagem eh necessario desde o inicoo
Tem um código inicial q diz: vove vem ou nao vem
Um acordo que te da pouco no inicio
Te coloca na parede
Vc vai oivir ou nao vai ouvir?
Se vc nao ouve vc nao tem imagem