Noivas

por

02 de outubro de 2014

O sistema carcerário de qualquer país possui doses de repressão que, a princípio, são destinadas aos prisioneiros. O que quase nunca é lembrado são as vidas das famílias dos presos, que acabam se tornando sinônimo de espera e inquietação.

images

“Noivas”, produção da Geórgia dirigida por Tinatin Kajrishvili, apresenta um painel íntimo sobre as dificuldades de se ter alguém próximo encarcerado, principalmente numa região na qual as regras são rigorosas e a benevolência beira o inóspito. Nutsa (Mari Kitia) é a parceira de Goga (Giorgi Maskharashvili), que já está preso há quatro anos numa prisão distante da cidade onde mora com seus dois filhos e ainda precisa cumprir pena por mais seis. A partir do momento em que é definido que apenas esposas poderão usufruir de visitas mensais aos maridos prisioneiros, Nutsa, que não é oficialmente casada com Goga, se junta a outras mulheres em prol da promoção de seus casamentos, dentro da própria penitenciária – daí o título do filme. A “cerimônia” é rápida e burocrática e as autoridades não poupam as indiferenças e falta de cuidado com cada um. A partir disso, o longa, exibido no último Festival de Berlim, traça caminhos para dissecar as dificuldades físicas e existenciais da protagonista, que vive como refém da situação do marido. Recheado de melancolia, o filme acerta ao priorizar a rotina e a visão de Nutsa sobre o contexto no qual se encaixa, sem recorrer ao melodrama. Suas dúvidas e atitudes são todas justificáveis e o roteiro faz de sua personagem uma figura crível que precisa lutar contra algo que não foi causado por ela, mas que segue protegendo os filhos e tentando sobreviver num lugar onde a frieza, além do clima, está na alma das pessoas. Sua trajetória durante a projeção é comovente, devido principalmente ao desempenho magistral da atriz, e seu comportamento bate na tela como uma janela da alma de pessoas que perseguem a felicidade, mesmo sem ter a menor pista de onde encontrá-la. Com algumas cenas que incomodam devido ao tom claustrofóbico da fotografia, “Noivas” cumpre seu papel de ser imparcial em relação à condenação de forma geral, seja ela devido a um crime cometido ou aos pecados que se cometem no cotidiano de qualquer ser humano ávido por justiça, retaliação e paz. A grande cereja do bolo, porém, fica por conta da cena em que Nutsa consegue o direito de passar um dia com o marido na prisão, na qual se é colocado em xeque o poder que a vida tem de transformar sentimentos e bloquear intimidades quando tempo e espaço não se encontram alinhados à existência humana.

 

Festival do Rio 2014 – Expectativa

 

Noivas (Patardzlebi)

Geórgia, França, 2014. 93 minutos

Direção: Tinatin Kajrishvili

Com Mari Kitia, Giorgi Maskharashvili, Natia Niguriani, Ana Grigolia, Nita Kalichava