Sequestro recente atualiza debate sobre Filme Ônibus 174 e filmografia de José Padilha

Filmes podem prever a construção nefasta de uma realidade distorcida? Ou são apenas condicionados pelos elementos aos quais somos todos condicionados? Há possibilidade de rompimento do círculo vicioso?

por

20 de agosto de 2019

Sinal dos tempos bastante simbólico…

Nenhuma mídia hegemônica fala com a devida proporção da seriedade das trevas que cobriram o Brasil por causa de cinzas das queimadas ontem nas florestas ao Norte do país…*

Ainda mais agora que todas as mídias estão focadas ao vivo no sequestro do ônibus na Ponte Rio-Niterói, com um sequestrador que se identificou como um policial militar — Bastante simbólico mesmo.**

Podemos traçar paralelos de qual Brasil estamos vivendo hoje em dia a partir da terrível análise semiótica que a filmografia patológica de José Padilha acabou representando, quase com um orgulho doentio nesta bola de cristal nefasta, desde “Ônibus 174” a “Tropa de Elite” e “O Mecanismo”… Agora, mais do que nunca, ver este novo sequestro de ônibus com a simbologia do significante de um sequestrador que talvez seja policial militar parece muito com a dimensão invertida de Stranger Things, pois nossa bússola referencial assumiu de vez que se inverteu em 180°!

Imagens do filme "Ônibus 174" de José Padilha

Imagens do filme “Ônibus 174” de José Padilha

Parece até produção do Padilha para montar a segunda metade de sua filmografia e adaptar ao novo futuro desta distopia que mergulhamos… Medo, muito medo desta nova realidade e de sua reprodução pelos canais que desejam produzí-la… Mas ao mesmo tempo é bastante auto denunciativo, pois demonstra o estado execucionista que vivemos desde sempre, mas que foi sancionado pela atual administração pública. Sim, nossos atuais sequestradores são os policiais, são os políticos, é o poder público… E nem querem mais esconder, pois está aí ao vivo, registrado em mídias hegemônicas para ver, e, o pior, as pessoas celebram e comemoram cegamente esse circo nefasto de pão e vinho… Esta é a única realidade possível para a distorção contemporânea? O cinema e a cultura foram sequestrados pelos registros ao vivo do execucionismo da violência pública do Estado matando com prazer o cidadão? Então, a pergunta permanece: Qual o Brasil que eles querem vender? Para qual “brasileiro”?

E enquanto isso o Brasil foi tomado por trevas das cinzas de queimadas em nossas florestas no Norte: “Bem diferente dos ‘rios voadores’, que trazem água da Amazônia para todo o Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil, agora estamos vendo os ‘rios de fumaça’.
Resultado de incêndios criminosos, esse ‘rio’ fez o mesmo trajeto dos ‘rios voadores’. Só que em vez de levar gotículas de vida ao país, trouxe as toxinas das queimadas, descendo pelo interior do continente.” Muito triste…muito triste mesmo…😭

Parece que saímos de Macunaíma há um bom tempo já e caímos direto no Inferno de Dante — literalmente.

*Fonte das queimadas nas florestas do Norte do Brasil:

https://www.almanaquesos.com/incendio-na-amazonia-leva-rio-de-fumaca-ao-sul-do-brasil-flagra-satelite-americano/

**Fonte do sequestro do ônibus:

https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2019/08/5673954-passageiros-sao-feitos-refens-durante-sequestro-a-onibus-na-ponte-rio-niteroi.html